NOTÍCIAS

Dia Internacional de Consciencialização para a Gaguez

Dia 22 de outubro assinala-se o Dia Internacional de Consciencialização para a Gaguez. Esta data é assinalada desde 1998 e foi escolhida pela International Fluency Association (IFA) e pela International Stuttering Association (ISA), como meio de sensibilizar e informar a população em geral e apoiar a pessoa com gaguez.


“Gaguez”, significa perturbação da fala que consiste na paragem em certas silabas e repetição de outras (in Dicionário da Língua Portuguesa).

Mas, gaguez é mais que uma perturbação da fluência da fala, é uma dificuldade de comunicação que envolve quem gagueja e também os seus interlocutores nos mais diversos contextos comunicativos, família, escola, trabalho. Não apenas quem gagueja tem dificuldades em comunicar, como também quem com ele interage não sabe bem como reagir à gaguez.

Podemos definir Gaguez, como uma alteração da Comunicação, que se traduz por uma Perturbação de Fluência, que compromete o ritmo e a velocidade do discurso. A pessoa sabe exatamente o que quer dizer, mas o seu discurso pode assumir diversas formas como, repetição de sons ou sílabas nas palavras, prolongamentos de sons, pausas não esperadas, bloqueios em que o som de fala é interrompido, substituição de palavras, interjeições nas frases, elevação do timbre e do volume da voz. Podem ainda observar-se movimentos associados da face ou do corpo enquanto a pessoa fala.

É de referir que a pessoa com gaguez reage de forma diferente a estímulos, momentos e situações diversas. Com isto pretende-se dizer que a gaguez é flutuante e que tem impacto sobre os pensamentos, as perceções, os sentimentos e as atitudes do indivíduo em relação às experiências comunicativas que podem ser positivas e/ou negativas, com que se depara. Por conseguinte, as interações entre estes fatores provocam impacto direto na frequência, no tipo e na duração da gaguez.

A nível mundial a gaguez afeta cerca de 68 milhões de pessoas, em Portugal estima-se que que haja 100.000 pessoas com gaguez. É cerca de quatro vezes mais comuns no género masculino. E contrariamente ao que se pensava não aparece com sustos, traumas ou perturbações emocionais. Os fatores genéticos são importantes, em cerca de 60% dos casos existe um histórico familiar. A investigação aponta para alterações neurológicas, linguísticas e psicossociais, relacionadas, por exemplo, com as exigências do meio envolvente e com o desenvolvimento linguístico na infância.

Por volta dos 3 anos de idade, aproximadamente 5% de todas as crianças passam por um período em que o seu discurso tem como característica apresentar repetições, pausas, bloqueios e prolongamentos. Nesta fase o sistema neurolinguístico das crianças encontra-se em maturação e o pensamento é mais rápido que a capacidade fonoarticulatória. Falar é uma tarefa longa e difícil e a criança que está a começar a aprender a fazê-lo tem o pensamento mais rápido do que a capacidade de pôr em palavras aquilo que pensa. Esta alteração de fluência infantil, por norma desaparece, no entanto se persistir por mais de 3 meses deve-se consultar um Terapeuta da Fala.

O Terapeuta da Fala, ajuda, orienta, ensina a pessoa com gaguez a conhecer a sua própria gaguez, a identificar pontos fracos e controlá-los. Dá ferramentas à pessoa gaga para se tornar num excelente comunicador, ajuda a pessoa a desenvolver um sentimento de segurança, confiança em si própria e de domínio sobre a gaguez. O objetivo da Terapia da Fala é melhorar a competência comunicativa da pessoa gaga e não terminar com a gaguez.

A articulação entre o Terapeuta da Fala e outros profissionais que acompanham a pessoa gaga é indispensável para que se possa trabalhar competências pragmáticas que visam melhorar a comunicação em contexto familiar, profissional e/ou social.

Enquanto interlocutores é fundamental sabermos que quando comunicamos com a pessoa gaga não devemos fazer comentários como: "Fale devagar", "Respire", "Tenha calma". Devemos ouvir a pessoa sem demonstrar que estamos “incomodados” com a situação. Ser natural, manter o contacto visual, esperar que a pessoa termine de falar para depois responder, ser paciente e falar de forma calma, vai facilitar a comunicação.

Comunicar é mais do que falar sem hesitações!

É fundamental mudar a atitude da sociedade. Conhecer o que é a Gaguez, conhecer para modificar! Modificar Atitudes, Mitos, Ambientes de Comunicação! Modificar-nos enquanto Interlocutores!

A aceitação da gaguez por parte de todos é primordial na realização pessoal, escolar e profissional da pessoa com gaguez, daí a importância de continuar a assinalar-se o Dia Internacional de Consciencialização para a Gaguez

Maria do Céu Magalhães

Terapeuta da Fala

STSS

Sindicato dos Técnicos Superiores de Saúde nas Áreas de Diagnóstico e Terapêutica

#JuntosConstruímosFuturo

SINDICALIZE-SE!

© 2021 STSS. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por ONITdev

Pesquisa