Razões para se SINDICALIZAR!
Segunda a Sexta
9:30-12:30 e 14:00-18:00
+351 229 069 170
+351 213 192 950
stss@stss.pt
stss-lisboa@stss.pt

NOTÍCIAS

Nota de Imprensa - "Após demissão de Marta Temido"

Nota de Imprensa - "Após demissão de Marta Temido"

TÉCNICOS SUPERIORES DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA ESPERAM QUE NOVO TITULAR DA PASTA INICIE O PROCESSO NEGOCIAL DESTES PROFISSIONAIS DE SAÚDE

EXIGEM MEDIDAS CÉLERES E CONCRETAS EM MATÉRIAS FUNDAMENTAIS PARA OS TSDT!


“Durante estes três últimos executivos, tendo Marta Temido liderado a pasta da Saúde, nenhuma matéria negocial foi desenvolvida e resolvida”, começa por destacar Luís Dupont, Presidente do STSS - Sindicato Nacional de Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica.

“Era expectável esta situação, de facto a senhora Ministra já se encontrava numa situação muito frágil. Esperamos agora o início efetivo de negociações com os Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (TSDT) e que se solucionem matérias estruturantes que se arrastam há anos, tal como a regularização urgente da carreira especial dos TSDT”.

Luís Dupont destaca ainda que “é fundamental que o novo titular da pasta tenha condições efetivas para reforçar o Serviço Nacional de Saúde e os seus profissionais, com os meios necessários para uma melhor prestação de cuidados e com as carreiras e condições justas”.

Na última reunião com o Ministério da Saúde, em abril último, e por forma a apresentar as preocupações e propostas dos TSDT, o STSS apresentou um acordo de princípios que continha várias matérias para as quais aguarda ainda respostas e soluções urgentes, propondo que seja definido um calendário e protocolo negocial urgente.

O STSS afirmou nessa data que, “entre outros aspetos, ser fundamental e urgente a regularização da revisão da carreira, nomeadamente a atribuição de 1.5 pontos por ano e a contagem de tempo na carreira dos CIT desde o início do seu contrato” recorda agora o Presidente do STSS, Luís Dupont. 

NECESSIDADE URGENTE DE RESPOSTAS/NEGOCIAÇÕES

O STSS continua a reiterar a necessidade urgente de respostas para as questões destacadas no documento apresentado ao Ministério da Saúde, insistindo na necessidade de se iniciarem as reuniões de negociação. Mais uma vez, Luís Dupont reafirma “a disponibilidade do Sindicato para negociar com o Governo, de modo a ser garantido aos trabalhadores TSDT a justiça e equidade a que têm direito e pela qual tem lutado nos últimos 20 anos”.  

O STSS reivindica que o Ministério da Saúde e o Governo assumam as responsabilidades necessárias, independentemente da demissão da Ministra, dando início às negociações, tal como compromisso já assumido pela Secretária de Estado da Saúde, apresentando urgentemente uma proposta de protocolo negocial para se negociarem as matérias que permitam uma justa regularização da carreira destes profissionais de Saúde.

 

STSS

Sindicato dos Técnicos Superiores de Saúde nas Áreas de Diagnóstico e Terapêutica

#JuntosConstruímosFuturo

SINDICALIZE-SE!

Pesquisa